Como conseguir um emprego na Alemanha?

Provavelmente a primeira preocupação de quem já cogitou mudar de país foi: como me sustentar? Qual ocupação posso ter lá fora? Será que poderia atuar na minha área em outro país? E com relação ao idioma, como eu seria aceito profissionalmente?

Se você pensa em mudar para outro país, cedo ou tarde, um emprego será necessário. Mesmo que de início você vá para estudar, sustentando-se com as suas economias ainda do Brasil, se a sua intenção a longo prazo é morar ali, chegará a hora que você vai precisar arregaçar as mangas e arranjar um jeito de fazer dinheiro.

Mercado de trabalho alemão e a situação após o COVID-19

Pela nossa trajetória como brasileiros, é natural que esse seja um assunto preocupante. O mercado de trabalho lá não é tão aquecido como aqui na Alemanha, devido às diferenças na economia entre um país e o outro. O processo de busca de emprego no Brasil é duro. São dezenas, às vezes centenas, de currículos enviados para que se consiga uma vaga.

Isso fica bem evidente quando olhamos para as taxas de desemprego dos dois países: em 2019 o Brasil fechou com 11%, enquanto a Alemanha em 3,2%. Se analisarmos Munique, que também tem a taxa de desemprego em 3,2%, ainda vemos que para quase metade dos desempregados há vagas em aberto. Isso considerando apenas números, claro, sem pesar as qualificações dos inativos e os requisitos das vagas.

Em tempos de COVID-19 fica difícil eu prever como ficará a situação depois da pandemia, quando até especialistas afirmam muita complexidade para entregar o resultado dos prognósticos desse ano. Eles falam em 2,36 milhões de desempregados na Alemanha caso a quarentena dure um mês e meio (já estamos, no dia 11.04, finalizando a quarta semana). Consideram que as atividades econômicas funcionarão somente parcialmente durante essas seis semanas e depois demorarão mais seis semanas para voltarem ao normal. O número de desempregados nessa análise varia de 90 mil a 300 mil a mais que no ano anterior. Caso a crise dure até o final do ano, a previsão é de passar a marca dos 3 milhões de desempregados, marca esta que, em 2019, ficou em 2,2 milhões.*

Outro ponto é que, além da economia ser mais forte na Alemanha que no Brasil, o governo alemão também está lidando com a doença de uma forma mais rígida, o que, na minha opinião, fará com que ela passe mais rápido por aqui, fazendo com que a economia também se recupere mais prontamente. Ou seja, comparando um país com o outro, a situação empregatícia provavelmente ainda estará melhor em terras germânicas, mesmo depois da crise.

O que você pode fazer para aumentar suas chances?

Mas agora sejamos sensatos: a situação econômica pode ajudar, mas não é isso que vai definir se você conseguirá um emprego na Alemanha ou não. Na minha opinião, isso depende da análise que você faz de si mesmo e do ambiente no qual você estará inserido.

Você deve olhar para suas próprias qualificações, ou até falta delas, no caso do idioma por exemplo, e analisar o mercado, as vagas oferecidas, os requisitos e a sua disponibilidade em exercê-las. Eu sugiro que você monte um plano. Nem sempre é fácil, e eu diria que é até raro, nos colocarmos de cara no mercado de trabalho alemão na mesma posição ou com o salário equivalente ao que tínhamos ao sair do Brasil. E mesmo se o seu emprego lá atrás não era bom e a mudança de país te traz novas perspectivas e oportunidades de crescer profissionalmente, crie um plano.

Comece analisando os seguintes pontos e respondendo as perguntas abaixo:

  1. Qual era seu emprego e seu salário no Brasil?
  2. Você gostaria de exercer a mesma função na Alemanha? Qual o nome do cargo na Alemanha e qual o salário médio para esse cargo na cidade onde você mora ou pretende morar?
  3. Qual a sua formação? Para exercer o cargo desejado você precisa validar seu diploma? Se sim, é possível? Se não for possível, você cogitaria mudar de área ou faz questão que seja essa? Se faz questão, o que é necessário fazer para que consiga exercê-la no futuro? Curso de alemão, faculdade, Ausbildung. Enquanto você estuda para atender essas exigências tem como você ficar sem trabalhar? Se for trabalhar durante esse período, com o que seria?
  4. Quais idiomas você fala? Se você não fala nada de alemão ou inglês, você pode até conseguir algo, mas espere trabalho duro. Pense no contrário: se algum estrangeiro que não fala o português procurasse um emprego no Brasil, quais vagas você acha que ele conseguiria? Se você fala o inglês, veja as necessidades da sua área com relação ao idioma. Eu sugiro, de qualquer forma, você aprender o alemão. Você falando inglês ou não, e seja lá qual for a sua área de atuação profissional. Saber o idioma do país vai facilitar a sua busca, vai abrir o leque de possibilidades e pode, inclusive, viabilizar um salário muito maior. (Além de ser interessante aprender o idioma do país por questões de adaptação e inserção na cultura, né!)

Para saber sobre os requisitos dos cargos que você quer exercer na Alemanha, quanto a qualificações e idiomas recomendo procurar vagas de emprego e anotar o que eles pedem. 

E aí vamos para o próximo tema: como encontrar as vagas.

Como e onde procurar emprego na Alemanha?

Existem algumas formas de você procurar vagas por aqui, a primeira delas, já conhecida também no Brasil, são os sites de procura de emprego. Existem inúmeros, se você digitar no Google “Jobs NOME DA CIDADE”, por exemplo Jobs München, você encontrará incontáveis. Uma dica é você especificar o cargo ou o setor na busca para o caso de haver algum site especializado na sua área.

  1. StepStone – para toda a Alemanha
  2. Meine Stadt – para toda a Alemanha
  3. Monster – para toda a Alemanha
  4. Münchner Jobs – para Munique e região

Outra sugestão é deixar seus perfis no LinkedIn e Xing sempre atualizados. Para quem não conhece, Xing é a versão alemã do LinkedIn, muito usada aqui para contatos profissionais, divulgação de vagas e recrutamento. 

Meu perfil no Xing.

Tanto um quanto o outro têm a seção de listagem de vagas em aberto, onde você pode filtrar o que busca e ativar alertas para receber notificações sempre que uma vaga aparece. Ambos também oferecem a possibilidade de uma conta premium paga, com a qual você consegue obter mais informações sobre as vagas, como salário.

Outra configuração importante nessas redes sociais é configurar seu status para que os recrutadores saibam que você está em busca de novas oportunidades de emprego. As redes sociais tomam o cuidado de não mostrar para a sua atual empresa ou para outros usuários da rede, somente para aqueles cadastrados como recrutadores.

No Brasil também muito conhecidos pelo termo em inglês headhunter, os recrutadores são profissionais da área de RH que vão tentar encaixar as vagas disponíveis com o perfil de quem está procurando emprego.

O processo funciona mais ou menos assim: eles olham seu perfil (por isso a importância de tê-lo sempre atualizado) e entram em contato por mensagem, já oferecendo alguma vaga específica ou se apresentando e mostrando interesse em saber mais sobre você.

Você pode responder essa mensagem com o seu currículo e explicar sobre seus interesses profissionais. Eles provavelmente vão marcar uma pequena conversa por telefone, que durará em torno de meia hora para entender seu perfil, seus atuais desejos de carreira, suas experiências, seu salário no momento, sua pretensão salarial, entre outras perguntas que poderiam surgir em qualquer entrevista de emprego.

O ideal é você entender o recrutador como uma pessoa experiente no mercado de trabalho alemão e também fazer suas perguntas. Questione sobre se sua pretensão salarial se encaixa com a vaga que você busca, se a área que você deseja atuar é aquecida, quanto tempo em média leva a busca de emprego para esse cargo, a opinião dele sobre como você organizou os próximos passos da sua carreira e as suas qualificações.

Lembre-se que ele vai querer tanto quanto você lhe arranjar um emprego, pois ele também ganhará com isso.

Contudo, é importante não se debruçar totalmente no recrutador durante a sua busca, já que muitas empresas que não disponibilizam suas vagas através de recrutadores.

Como montar um currículo para o mercado de trabalho alemão?

Por último, mas não menos importante: o currículo! Em comparação com o que fazemos no Brasil, os modelos até que são bem parecidos. Se você estiver inseguro e quiser ver como é um currículo na Alemanha digite “Lebenslauf Vorlage” (modelo de currículo, em alemão) no Google e utilize algum modelo pronto.

Eu estou muito longe de ser uma especialista, mas percebo que existem algumas coisas que diferem um currículo na Alemanha e no Brasil. A primeira questão é escrever suas atividades na parte de Experiência Profissional (Berufserfahrung), e não só o nome dos cargos que você exerce e já exerceu. Isso é bem importante, porque as vagas aqui são um tanto confusas. Alguém com uma vaga de nome parecido com a minha pode ter atividades bem diferentes em outra empresa, além de outro nível de responsabilidade e tomada de decisão.

Há também aqui a bendita cover letter, ou Anschreiben em alemão. Ela é uma carta de apresentação, em poucos casos solicitada no Brasil. Vou deixar aqui uma recomendação para você montar a sua, me inspirando em como montei a minha própria. Cada número abaixo corresponde a um parágrafo:

  1. Nomear a vaga e a empresa para a qual você está se candidatando
  2. Crie um parágrafo explicando por que você se encaixa na sua vaga. Sugiro você ler os requisitos da vaga e ver o que faz com que você preencha a maioria deles, de acordo com as suas experiências de trabalho e estudos.
  3. Cite rapidamente sua ocupação atual e a razão pela qual você acredita que esse trabalho vai te acrescentar na sua vida profissional e/ou pessoal.

Esse texto da carta de apresentação terá pouco mais de meia página, já que o formato do Anschreiben precisa preencher os requisitos alemães de uma carta: seu nome e endereço e o nome e endereço do destinatário logo abaixo; cidade e data; assunto da carta; cumprimento formal; texto; saudação e seu contato abaixo. Veja exemplo na figura abaixo.

Modelo de carta alemão, para você escrever seu Anscreiben.

Quando for mandar o e-mail para a empresa não esqueça de escrever no título a vaga para a qual você está se candidatando. No corpo do e-mail escreva novamente a vaga e a empresa para onde vai sua cadidatura – uma possibilidade aqui é copiar o primeiro parágrafo da sua carta de apresentação. Também descreva o que está em anexo, normalmente a carta de apresentação, currículo e, se você já teve experiências aqui na Alemanha, o Zeugnis do emprego anterior. 

O Zeugnis é um certificado sempre fornecido pela empresa quando você sai ou quando seu cargo é alterado (nesse caso te entregam o Zeugnis do cargo anterior). No Zeugnis o empregador descreve suas atividades e um pouco sobre a sua personalidade, seu jeito de trabalhar.

Acredito ter dado dicas suficientes para manter você ocupado por algum tempo nessa busca por emprego na Alemanha. Espero poder ajudar alguém com essas dicas nessa fase tão importante que é se estabelecer profissionalmente no exterior.

Caso você tenha alguma dúvida, deixa nos comentários ou entra em contato comigo. Se você tem alguma dica que não foi descrita aqui, mas que também pode ajudar alguém, escreve aí embaixo também.

Desejo muito boa sorte para todos na busca por emprego! Sucesso!

2 Replies to “Como conseguir um emprego na Alemanha?”

  1. Lua Mariel Perez Pereira says: Responder

    Adorei o post, já peguei todas as dicas pra usar futuramente!

    1. Que bom, Lua! ❤️

Deixe uma resposta