10 dicas de trilhas maravilhosas para você fazer na Baviera

Fazer trilha faz parte da cultura alemã de uma maneira que nós brasileiros nunca imaginamos. O contato com a natureza é muito importante para os alemães e a maneira mais comum que eles fazem isso é através do wandern, palavra que significa fazer caminhadas em português.

Pela sua natureza, com os alpes bávaros, os inúmeros lagos, os rios e os valores, fazer trilhas faz parte da vida dos moradores da Baviera. Tanto que o Estado possui aproximadamente 40 mil quilômetros de trilhas demarcadas. Isso sem contar percursos extra-oficiais! Conseguem imaginar a dimensão disso?

As caminhadas são o programa preferido de muitas famílias alemãs, você vê desde pais carregando seus bebês nas costas durante a trilha, crianças muito pequenas já subindo as montanhas com as suas próprias pernas, até idosos em uma forma física de dar inveja.

Os trajetos são muito bem sinalizados e, muitas delas, são feitas em caminhos largos, algumas vezes até asfaltados. Bem diferente da ideia de trilha no meio do mato que temos no Brasil. Mas é claro, aqui também existem trilhas de nível avançado, durante as quais é necessário escalar ou nas quais a caminhada é feita à beira de um abismo. 

Mapas como esse são frequentemente encontrados no início das trilhas.

Para escolher qual a trilha mais apropriada para você, sua condição física, equipamento e experiência, é importante ficar atento às sinalizações, como à cor de cada caminho:

  • Azul – fáceis/trilhas para famílias (einfach/Familienwanderungen)
  • Vermelho – intermediários/caminhadas agradáveis (mittelschwer/Genusswanderungen)
  • Preto – difíceis/trilhas de montanha (schwer/Bergwanderungen)

É comum no ponto de início existir um mapa da região com as trilhas demarcadas, mostrando o nível de dificuldade, comprimento, duração aproximada e alguns pontos principais. Assim como, durante o trajeto, também é possível encontrar placas com sinalização de direção, nome (normalmente o ponto final da trilha), cor e tempo de duração até o ponto final.

Como é uma atividade muito exercida aqui, existem vários sites e apps para registro das trilhas, como o Bergwelten, Bergtour e o Komoot.

O que eu mais uso é o Komoot, simplesmente porque acho a usabilidade melhor e o design mais claro. Nele, cada usuário pode registrar suas trilhas, seja ela oficial (as já existentes demarcadas pelo Estado da Baviera) ou um caminho que você mesmo inventar.

E essa é uma das melhores maneiras de desbravar a Baviera. A natureza aqui é linda e diferente para nós brasileiros.

Comecei a gostar muito de fazer exercício ao ar livre e as caminhadas proporcionam sempre uma experiência gostosa: exercício, tempo com os amigos, vistas maravilhosas da natureza bávara, vales e lagos, almoço em algum restaurante típico nas montanhas e uma cerveja no fim da trilha.

Vou deixar aqui algumas ideias de trilhas que já fiz ou que estão nos meus planos para você se inspirar a adquirir esse hábito também (seja aqui na Baviera, em outro lugar da Alemanha ou até mesmo no Brasil).

Já aviso que a duração descrita é se você fizer o trajeto todo direto, sem muitas paradas. Se você gosta de fazer umas pausas para descansar ou pretende almoçar em algum lugar durante a trilha, some mais tempo. Eu recomendo fortemente você parar em algum dos estabelecimentos situados nas cabanas no altos das montanhas para aproveitar um ambiente em meio à natureza, bem no interior da Baviera. É uma experiência e tanto!

Ao fazer sua trilha, não esqueça de ir vestido adequadamente com roupas confortáveis, calçados apropriados e leve sempre água e um lanche com você.

A vista de dentro dos desfiladeiros do Partnachklamm.

1. Partnachklamm

Distância: 6km.
Duração: cerca de 2 horas.
Elevação: 210m (chegando a 900 m acima do nível do mar)
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site BergWelten.

Valor: 6€ por adulto / 3€ crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Crianças menores de 6 anos não pagam. É possível entrar com cachorro por 1€, se ele estiver na coleira.

O Partnachklamm fica em Garmisch-Partenkirchen, a 90 km de Munique. De fácil acesso, tanto de carro quanto de trem, é ótimo para uma viagem de bate-volta no final de semana. São menos de 1 hora e meia para chegar na estação de Garmisch-Partenkirchen e é possível começar a caminhada direto de lá.

Se você for de carro, estacione logo na entrada da trilha, no Parkplatz Karl-und-Martin-Neuner-Platz.

O local trata-se de um desfiladeiro com um rio de águas verdes correndo pelo meio das pedras. É um lugar lindo! A primeira parte do passeio é em uma estrutura construída embaixo no desfiladeiro, ao lado do rio.

Sugiro fazer sua parada para lanche no Kaiserschmarrn-Alm, uma cabana com vista para as montanhas, com comida boa, preço justo e funcionários simpáticos.

Subi ao Herzogstand no outono, olhem essas cores!
(Da vista do final da trilha não vai ter spoiler por aqui)

2. Herzogstand

Distância: 11,5km.
Duração: em torno de 5 horas e 30 minutos.
Elevação: 870m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Essa trilha é considerada difícil, devido à sua elevação. É muita subida e por bastante tempo, por isso vá no seu ritmo. O lado bom é que é possível parar para observar a vista das montanhas e do lago Walchensee durante o trajeto, o que dá aquela motivação extra.

Minha recomendação é subir até o Herzogstand, para apreciar a maravilhosa vista dos lagos Walchensee e Kochelsee, e em seguida descer até a Bergasthaus Herzogstand para o almoço (e aquela cerveja merecida depois de ter alcançado o topo da montanha).

Para descer, pegue o teleférico, que fica a 300m do restaurante.

Se você preferir o modo fácil dessa trilha, suba de teleférico e, dali, continue o trajeto até o topo da montanha.
Distância: 3,8km.
Duração: aproximadamente 1 hora e meia.
Elevação: 140m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

A vista para o Tegernsee de cima da Wallberg. Foto: Ingo Joseph.

3. Wallberg no Tegernsee

Distância: 12,4km.
Duração: cerca de 5 horas.
Elevação: 870m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Existem muitas trilhas ao redor do belo Tegernsee. Minha sugestão é essa na cidade de Rottach-Egern, a 57 km de Munique, que pode ser alcançada em 1 hora de carro ou 1 hora de trem até a cidade de Tegernsee, mais 20 minutos de ônibus até o ponto de Wallbergbahn, já em Rottach-Egern. 

Lá de cima, no topo da montanha ao sul do lago, você consegue ver toda a dimensão do lago e todas as cidades ao redor do mesmo.

Nessa trilha, também há a possibilidade de fazer o modo bem iniciante e pegar o bondinho na subida, na descida, ou ida e volta.

Minha sugestão é subir até o topo pela trilha, descer até o Restaurant Wallberg, que fica na estação do teleférico no alto da montanha, e descer de bondinho.

4. Castelo de Neuschwanstein

Distância: 13km.
Duração: em torno de 5 horas e 30 minutos.
Elevação: 840m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Essa trilha é um desejo meu, mas será que eu estou preparada para ela? É um trajeto considerado difícil, pela inclinação e por passar por alguns lugares à beira da montanha (sendo esse último o meu maior problema). 

A vista da trilha é dos lagos da região: o Forggensee, Alpsee e Schwansee, por exemplo, além de ser possível ver o Castelo de Neuschwanstein de todos os ângulos.

Eu sugiro fazer o caminho inverso do que está descrito no Komoot: começar pela parte mais difícil e terminar com a parte asfaltada e mais turística, descendo pela frente do Castelo de Neuschwanstein.

Para ver como chegar lá e saber mais sobre a visita ao Castelo de Neuschwanstein, clique aqui.

E essa vista do Schliersee logo no início da trilha?

5. Schliersee

Distância: 9,5km.
Duração: aproximadamente 3 horas.
Elevação: 330m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Facilmente alcançada a partir de Munique, a cidade de Schliersee, onde fica o lago com o mesmo nome, fica a apenas 53 km da capital Bávara. Em cerca de uma hora de carro ou de trem da Hauptbahnhof de Munique, você chega lá.

Uma trilha bem tranquila e excelente para um dia quente de verão. A trilha começa com uma subida até as ruínas do Castelo Hohenwaldeck, do lado leste do lago. Ali você tem uma vista do lago e pode observar as cores de azul e verde de suas águas.

A caminhada continua completando toda a volta no Schliersee, em um trajeto bem tranquilo.

Sugiro comer alguma coisa no Rixneralm e deitar no gramado em volta do lago para aproveitar o resto do dia por ali, já que a temperatura da água é ótima para banho.

6. Kehlsteinhaus

Distância: 13km.
Duração: cerca de 3 horas e 30 minutos.
Elevação: 780m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Bem próxima ao Königssee, no extremo sudeste do estado da Baviera, fica a montanha de Kehlstein. A trilha inicia no Dokumentationszentrum Obersalzberg e sobe até 1.671m acima do nível do mar, no topo da montanha.

Lá em cima fica a Kehlsteinhaus, ou Ninho da Água em português, a casa construída pelo Partido Nazista (NSDAP) em 1938 para celebrações e reuniões.

Por estar fechada em 2020 para reformas, essa trilha fica na minha wishlist para o verão do ano que vem. Além da vista das montanhas, de um pedacinho do Königssee, do biergarten lá em cima, é uma trilha para aprender mais sobre a história da Alemanha.

7. Malerwinkel no Königssee

Distância: 4,5km.
Duração: em torno de 1 hora e 30 minutos.
Elevação: 210m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Com uma pequena elevação, essa trilha é para os iniciantes ou para os que preferem evitar exercícios puxados no seu momento de lazer. Ela é uma trilha que leva até um mirante para o Königssee. Devido à popularidade do lugar, ela provavelmente estará cheia de outros turistas, além de você. 

A vista do lago realmente é linda e a trilha pode ser combinada com um passeio em outros pontos da região de Berchtesgaden. Confere aqui o post que fiz com dicas para passar um dia no Königssee.

8. Eibsee 

Distância: 8km.
Tempo: aproximadamente 2 horas. 
Elevação: 100m. 
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

Essa é outra trilha que está na minha lista para fazer ainda no verão desse ano! O Eibsee fica em Garmisch-Partenkirchen e é um lago com pouca profundidade, o que favorece o banho, já que suas águas não são tão geladas. 

Sonho de verão é um dia bem quente, fazer a caminhada em volta do lago, almoçar no restaurante ali na beira do Eibsee e depois curtir um banho nesse lugar lindo. Muitos têm o Eibsee como o lago preferido aqui na Alemanha, já que suas águas são muito transparentes e ele proporciona visuais incríveis, com os alpes bávaros de fundo, bem pertinho. O Zugspitze, a montanha mais alta da Alemanha, fica ali e pode ser vista durante esse passeio.

Eu toda faceira posando com uma das cachoeiras na trilha até Pürschling.

9. Pürschling em Unterammergau

Distância: 11,5 km.
Duração: cerca de 5 horas.
Elevação: 820m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

O trajeto é todo bem tranquilo, parte dentro da floresta, passando por algumas lindas cachoeiras, parte por uma estrada de cascalho. Além disso, o caminho oferece visuais lindos da natureza e o fim da trilha dos vales.

O caminho ao topo é todo de subida, mas não é íngreme. Ao chegar lá em cima, almoce no August-Schuster-Haus, um biergarten com vista para o vale e para as montanhas com os picos nevados.

A charmosa cidade de Mittenwald.

10. Ferchensee e Lautersee em Mittenwald

Distância: 11km.
Duração: aproximadamente 3 horas e 30 minutos.
Elevação: 470m.
Clique aqui para ver a descrição do percurso no site Komoot.

A pequena cidade de Mittenwald, no interior da Baviera, oferece paisagens dos sonhos. Com a casas de fachadas pintadas, rodeadas por uma cadeia de montanhas chamada Karwendel, o próprio vilarejo já proporciona cenários fantásticos.

Mittenwald fica a 100 km de Munique, alcançada em menos de 2 horas de trem ou 1 hora e 20 minutos de carro.

A visita ao centro histórico da cidade pode ser combinada com um tour pela natureza igualmente incrível do lugar, passando pelos lagos de Ferchensee e Lautersee (quem sabe rola até uma parada para um banho no verão?).

Tentei reunir aqui paisagens que resumem o que é a natureza do sul da Baviera, a região chamada de Oberbayern. Essa área é bastante conhecida pelos alemães como um local de ecoturismo, já que tem excelente estrutura e uma natureza exuberante, rica em florestas, montanhas, vales, rios e lagos.

Você já sabia desse costume alemão? Já fez alguma das trilhas? Tem alguma para me indicar?

Contrate pelos links:
– SEGURO VIAGEM pela Seguros Promo (recomendo o seguro da AssistCard!)
– HOTÉIS pelo Booking.com
– PASSEIOS em Munique pelo GetYourGuide

Gosta do meu conteúdo? Colabore pelo Patreon! Clique aqui para saber dos benefícios de se tornar um patrono e para conhecer meus serviços.

Deixe uma resposta