Lago Eibsee e a charmosa cidade de Garmisch-Partenkirchen

No sábado passado fizemos um passeio para o interior da Baviera, o estado no qual Munique é a capital. Nosso destino era o Eibsee, um dos lagos mais bonitos da Alemanha, localizado 100km ao sul da capital bávara.

O lago Eibsee fica aos pés do alpes, mais que isso, bem na base da montanha mais alta da Alemanha, o Zugspitze. O pico fica a 2.962m de altura e o próprio lago a quase mil metros acima do nível do mar. O paredão de montanhas completa a paisagem de maneira divina, com o lago de águas cristalinas em tons de verde e a vegetação típica da Baviera, que se altera dependendo da estação.

Como chegar?

Para chegar ao Eibsee, recomendo ir de trem, com a oferta Bayern Ticket da Deutsche Bahn (explico tudinho aqui nesse post). Saindo da Estação Central de Munique, o custo benefício é excelente, já que você chega na estação de Garmisch-Partenkirchen em 2 horas.

Ao lado da Estação de Trem de Garmisch-Partenkirchen, fica uma outra estação de trem para subir ao Zugspitze. Mas ali você também consegue comprar um ticket para ir até a estação do Eibsee.

Outra opção, é ir de carro, opção que usamos no final de semana passado, já que a Deutsche Bahn estava de greve e o sistema de trens estava operando a 25%. A viagem dura cerca de 1 hora e meia, se você tiver sorte de não pegar trânsito. A estrada para essa região leva, além de aos alpes, também à Áustria e está em obras até maio de 2022, deixando o trecho bem lento. Nós levamos 2 horas e 40 minutos para chegar.

Bem próximo ao Eibsee existe uma grande oferta de estacionamentos, que custam cerca de 7 EUR por até 4 horas. Procure chegar antes das 10h nos períodos de alta temporada, de junho a metade de setembro, porque, quando o clima está bom, a área é bem procurada para caminhadas e passeios em meio à natureza.

Onde comer?

Como a viagem durou um pouco mais do que o planejado, fomos direto para o restaurante a beira da água, o Eibsee Pavillon. O cardápio é bem variado, com opções de pratos típicos da região, mas também ofertas que agradam a todos, como hambúrguer e algumas massas. Para os vegetarianos, há também muitas opções!

O preço é bem parecido com o de restaurantes tradicionais bávaros em Munique. A comida é deliciosa e a vista é incrível! O único ponto negativo foi o serviço o pouco lento, mas parece que o nosso garçom que estava meio confuso mesmo. A fila na entrada do restaurante andou muito rápido, por isso acredito que o nosso caso de lentidão do serviço foi isolado.

Passeio pelo lago Eibsee

O Eibsee possui cerca de 9km de margens, portanto, se você gosta de caminhar, é possível dar a volta nele inteiro dentro de umas 3 horas. É uma boa pedida se você quer aproveitar todos os ângulos da paisagem desse lugar maravilhoso. 

Se sua visita for em um dia ensolarado e quente no verão, por que não parar em algum ponto e tomar um banho no lago? A temperatura da água no Eibsee é abaixo dos 20 graus, mas no calor vale um mergulho nesse paraíso!

De um jeito ou de outro, para a caminhada ao redor do lago ou para um banho em suas águas, minha recomendação é chegar cedo para aproveitar.

A charmosa cidade de Garmisch-Partenkirchen

A cidade de Garmisch-Partenkirchen, com seus 30 mil habitantes, está longe de ser considerada um Dorf, um vilarejo alemão. Mas isso não significa que ela não mantenha seu charme de cidade pequena do interior, principalmente nas ruas do centro histórico.

Estacionamos o carro atrás do Centro de Informações Turísticas e começamos nosso passeio pela rua Am Kurpark.

Se você está de trem, fique tranquilo: é possível chegar da Estação de Trem de Garmisch-Partenkirchen ao centro em uma caminhada de menos de 10 minutos. São 650 metros até o Centro de Informações Turísticas.

Nessa rua de pedestres você vê dezenas de lojas de produtos da região, chocolates, queijos, canecas e decorações, além de vários cafés e restaurantes. As casas também são uma atração à parte, com as fachadas pintadas em um estilo bem comum do sul da Baviera e da região do Tirol na Áustria.

Esses afrescos são chamados de Lüftlmalerei em alemão e retratam cenas da bíblia ou do cotidiano da vida no campo.

Continuamos na rua principal até a Marienplatz – sim, o mesmo nome da praça principal de Munique, só que essa é bem pequenininha -, onde há um memorial a quem lutou defendendo a cidade de Garmisch na Primeira Grande Guerra. A pracinha fica toda colorida de flores durante os meses mais quentes do ano.

Dali, voltamos pela ruela de trás, a Bankgasse. A ruela em si permite carros, por isso, costuma estar cheia deles, mas as casas são super antigas e tradicionais, belíssimas. Ali também tem uma grande oferta de restaurantes típicos. Recomendo para quem decidir comer na cidade.

Quando ir?

Na região existem dezenas de atividades, mas decidimos misturar natureza e cidade, e visitar o lago Eibsee e o centro histórico de Garmisch-Partenkirchen nesse dia. Essa é uma excelente combinação para quem faz a visita entre os meses de maio a setembro. 

Nos meses mais frios, minha sugestão é combinar a visita à cidade a um passeio nas montanhas, subindo com o teleférico ao Zugspitze ou ao Alpspix, uma plataforma de observação menos conhecida, mas com uma vista extraordinária dos alpes.

Outros passeios pela região são os desfiladeiros de Partnachklamm, de Höllentalklamm, a outra parte histórica da cidade, em Partenkirchen, e dezenas de trilhas para fazer no verão ou pistas de esqui para praticar esportes no inverno. 

Se você quer assistir ao nosso passeio, clica no vídeo abaixo:

Contrate pelos links:
– SEGURO VIAGEM pela Seguros Promo (recomendo o seguro da AssistCard!)
– HOTÉIS pelo Booking.com
– PASSEIOS em Munique pelo GetYourGuide

Gosta do meu conteúdo? Vire membro!

Deixe uma resposta